A VITÓRIA DO PT

000- a coluna do Joauca - 500

Em novembro de 1977, ao agradecer a homenagem que lhe foi prestada no Senado, Pelé afirmou que o brasileiro ainda não está em condições de votar por falta de prática e por falta de educação.  Por falta de prática, talvez não. O que me causa espécie é que os candidatos mais polêmicos, que constituem o que há de pior na política, têm a preferência do eleitorado: Marco Feliciano (homofóbico e racista), Jair Bolsonaro (homofóbico e favorável  à ditadura militar) , Sérgio Moraes (que declarou em 2009 que se lixava para a opinião pública), Paulo Maluf (acusado de corrupção e desvio de dinheiro público), Fernando Collor (o único presidente a ser defenestrado), José Sarney (pretenso dono do Maranhão, um dos estados mais pobres e violentos da Federação), e muitos outros.

Em 1985, o PT foi contra a eleição de Tancredo Neves e expulsou os deputados que votaram nele; em 1988, votou contra a Constituição; em  1989, defendeu o não pagamento da dívida externa brasileira; em 1993, foi contra um governo de coalizão proposto por Itamar Franco para o bem do Pais; em 1994, votou contra o Plano Real por considerá-lo medida eleitoreira; em 1996, votou contra a reeleição (de que hoje se beneficia); em 1998, votou contra a privatização da telefonia, que hoje permite mais de 150 milhões de linhas telefônicas; em 1999, votou contra a adoção de metas de inflação; em 2000, lutou contra a criação da lei da Responsabilidade Fiscal; em 2001, votou contra a criação dos programas sociais do governo FHC, como bolsa escola, vale alimentação, etc., que classificou como esmolas eleitoreiras, mas que hoje adotou, assumindo mentirosamente a paternidade deles.

Agora no governo, o PT associou-se ao que há de pior na política nacional e internacional: os Castros, Ahmadinejad, Hugo Chavez, Maluf, Collor, Sarney; acolheu  um assassino condenado pela justiça italiana (Cesare Battisti) e recusou asilo a atletas cubanos; ataca os aposentados (a primeira providência de Lula, ao assumir o poder, foi taxá-los), defende os mensaleiros corruptos que ajudaram a desonrar o nome do Partido (José Dirceu, José Genoíno, João Paulo Cunha); impôs uma tomada elétrica de três pinos cilíndricos, proibindo a fabricação e venda de todas as outras tomadas, inclusive a universal, adotada em mais de 150 países, e ainda posa de democrata…

Ao ajudar os presidiários com auxílio financeiro acima do valor do salário mínimo e ao proteger a ociosidade com planos  assistenciais, o PT certamente conquista o eleitorado. Pelé tinha razão, não porque o povo seja despreparado para votar, mas porque prefere votar no que há de pior para o País. A prova disso é que talvez Dilma se reeleja ainda em primeiro turno…

(José Augusto Carvalho é mestre em Linguística pela Unicamp, doutor em Letras pela USP, e autor de um Pequeno Manual de Pontuação em Português (1ª edição, Bom Texto, do Rio de  Janeiro, 2010, 2ª edição,  Thesaurus, de Brasília, 2013) e de uma Gramática  Superior da Língua Portuguesa (1ª edição, Univ. Federal do ES,  2007; 2ª  edição, Thesaurus, de Brasília,  2011)

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone