ELES NÃO NEGAM AS ORIGENS

Crivella esconde Lula

Marcelo Crivella adulterou uma foto para poupar Lula.

Na foto original, Lula aparecia com Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Pezão e o candidato a prefeito do Rio de Janeiro, Pedro Paulo.

Na foto adulterada, exibida ontem à noite pela campanha de Marcelo Crivella, Lula foi apagado.

Diz O Globo:

“Em entrevistas recentes, o bispo licenciado da Igreja Universal tem adotado um tom ameno quando confrontado sobre as acusações de que Lula seria o comandante do petrolão, esquema de corrupção na Petrobras. Na sexta-feira, Crivella disse em sabatina ao GLOBO que não tinha convicção sobre as acusações contra o petista. Nos bastidores, comenta-se que o senador já está de olho no apoio do PT no segundo turno, numa eventual disputa com Pedro Paulo. Crivella foi ministro da ex-presidente Dilma.”

Veja a foto original:

E a foto adulterada:

A PROPÓSITO

Falsificações de fotografias na União Soviética

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um exemplo de como a imagem era alterada, conforme o regime stalinista iriaexpurgando e eliminando membros doPartido Comunista e amigos de Josef Stalin.

Depois que Josef Stalin subiu ao poder no Partido Comunista da União Soviética e tornou-se líder soviético, iniciou uma série de expurgos que eliminaram inimigos percebidos. No inicio, os expurgos significavam a expulsão do Partido Comunista, mas, após o Grande Expurgo na década de 1930, os membros seriam detidos, encarcerados, enviados para gulags ou ao exílio interno na Sibéria, ou executados.

O governo soviético tentou apagar algumas figuras que expurgava da história soviética, e tomou medidas que incluíam falsificação e alterações de imagens, destruindo filmes, e em casos mais extremos, matando famílias inteiras.[1]

Acusam-se as autoridades da antiga União Soviética, de praticar modificações e adulterações de fotografias com objetivo de propaganda do regime e “reescrever o passado.” Segundo estas alegações, as fotografias foram cortadas com um bisturi.

Antes
Después
A versão original desta foto (acima) mostra Nikolai Yezhov, o jovem à esquerda de Stalin. Na versão modificada (abaixo), a sua imagem foi removida pelos censores soviéticos.[2]

As técnicas de modificação são muito primitivas em comparação com as modernas técnicas digitais, e exigem uma alta competência e técnicos altamente qualificados. Em algumas destas fotografias, as modificações são muito toscas e fáceis de identificar. Hoje, consideram-se as seguintes explicações para o aspecto bruto das fotografias:

  • a aparência rústica é evidente somente para nós, que possuímos uma cultura iconográfica mais ampla que os receptores das fotografias alteradas, que carecem de nossa sofisticação visual;
  • a primitividade foi involuntária e impossível de evitar, porque a tecnologia da época não possibilitava um trabalho melhor.

Apesar da grande importância de Leon Trotsky para a revolução de 1917, ele “caiu em desgraça” entre 1925 e 1929, o que significa que foi vencido em uma disputa interna dentro do Partido Comunista, onde saiu vencedor o stalinismo. Stalin, por isso, decide eliminá-lo da História, fazendo com que todos os registros fotográficos onde Trotsky aparecia ao lado de Lênin fossem alterados.

Abaixo, um dos exemplos de modificações fotográficas na União Soviética. A foto original mostra Lenin e Trotsky em frente ao Bolshoi em Moscou. Após o expurgo de Trotsky, a primeira versão seria retocada, o que eliminaria sua figura das fotografias.

Fotografia original, em 1920, em frente ao Bolshoi de Moscou, Lenin discursa aos soldados que vão combater contra a Polônia. Trotsky, ao seu lado.

Fotografia retocada, em que Trotsky foi eliminado.

Outro exemplo de como Stalin procurou apagar a memória de Trotsky da História. Na primeira foto, o criador do Exército Vermelho está ao lado de Lênin. A segunda sua figura é retirada, depois das ordens de Stalin.

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone