TOMA LÁ, DÁ CÁ

Governo dá cargo para presidente da CCJ, que vai definir relator de denúncia contra Temer


O esforço do governo para tentar impedir a abertura de processo contra Michel Temer pelo STF passa por agradar ao presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco. Às vésperas do deputado escolher quem será o relator da denúncia contra Temer, Pacheco terá uma demanda antiga atendida pelo Planalto: a troca do presidente de Furnas. Sai Ricardo Medeiros e entra Julio Cesar Andrade. O deputado garante que não vai pautar suas decisões por isso. “Nem que o governo corrija a falta grave que tem com Minas, isso não vai influenciar na CCJ”, avisa.

Engole seco. A troca na presidência de Furnas desagrada ao ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, que recebeu ordens superiores para fazê-la.*
Troca-troca. Atual diretor de administração, Julio Cesar entrou em Furnas indicado pelo senador Romário, mas conquistou o apoio da bancada do PMDB de Minas Gerais e trocou de padrinho.
Calculando. O governo sabe que precisará mais do que Furnas para agradar a Rodrigo Pacheco. Quem conhece o presidente da CCJ diz que todos os movimentos dele levarão em consideração um cálculo político.*
(*) Coluna Estadão

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone