O ESCROQUE JURAMENTADO

Lula, deixe Marisa Letícia em paz!

Às favas todos os escrúpulos

Ali o corpo de Marisa foi velado há um ano. Lula aproveitou a ocasião para transformar o velório num comício. À beira do caixão, proclamou que “os facínoras que fizeram isso contra ela” deveriam um dia ter “a humildade de pedir desculpas”.

Desde então, vez por outra, Lula responsabiliza direta ou indiretamente os agentes da Lava Jato pela morte da sua mulher. De fato, ela morreu porque teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) diagnosticado muitos anos antes. Não se cuidou. Ele arrebentou.

Marisa Letícia fumava muito, não fazia exercício e tinha medo do que pudesse ocorrer com seus filhos e com ela mesma. Reclamava da disposição do marido de defender-se confrontado a Justiça. Achava que ele deveria adotar uma postura mais discreta.

Para Lula, será irresistível aproveitar a missa de um ano da morte da mulher para reapresentá-la novamente como vítima da sanha dos seus perseguidores. E receber em troca a solidariedade dos que acreditam ou fingem acreditar em tudo o que ele diz.

Afinal, vale tudo para escapar da prisão e disputar a vaga de Temer. Vale até desrespeitar a memória da ex-mulher e a verdade em torno de sua morte. Vale mandar às favas todos os escrúpulos.*

(*) Blog do Noblat