ORA, ORA…

Eremildo, o idiota, ainda não entendeu a liberdade concedida a Pizzolato

Resultado de imagem para pizzolato charges

Charge do Simanca (Arquivo Google)

Eremildo é um idiota à espera de um indulto. Ele aprecia a dicção do ministro Luís Roberto Barroso e encantou-se quando ouviu-o dizer que “vivemos uma tragédia brasileira (…) um país que se perdeu pelo caminho, naturalizou as coisas erradas”.

Por cretino, Eremildo não entendeu a decisão de Barroso que concedeu liberdade condicional a Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil, condenado a 12 anos de prisão em 2012.

Seguindo as normas, Barroso registrou que ele é réu primário, tem bons antecedentes e cumpriu um terço da pena com bom comportamento na penitenciária.

Só um idiota como Eremildo seria capaz de lembrar alguns antecedentes do doutor, que se torna caso clássico de naturalização da coisa errada. Condenado, Pizzolato fugiu do país usando identidade falsa e só foi capturado cinco meses depois, graças a uma operação da polícia italiana. Com dupla nacionalidade, tentou evitar que o devolvessem ao Brasil. É o paradoxo de Pizzolato: Preso, é um santo. Solto é que são elas.

MALVADEZA – De um juiz malvado: “Temer mandou sua equipe redigir uma Medida Provisória criando o ‘indulto preventivo’. Assim os seus ‘homens bons’ serão perdoados antes mesmo de serem condenados.”*

(*) Elio Gaspari – O Globo/Folha