NINGUÉM SABIA, FOI UM ENGANO

Governo confirma demissão do presidente do INSS após denúncia de suposto contrato ilegal

Exclusão acontece após jornal ‘O Globo’ divulgar que órgão fechou contrato de R$ 8,8 mi com empresa de informática sediada em um pequeno estoque de bebidas; técnicos do INSS indicaram que programa não seria útil para governo


BRASÍLIA – O Ministério do Desenvolvimento Social confirmou nesta quarta-feira, 16, a demissão do presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Francisco Lopes. A exoneração foi encaminhada à Casa Civil e deve ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

A assessoria de comunicação do ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, não divulga oficialmente o motivo da saída de Francisco Lopes do cargo. Mas a exclusão dele do posto acontece alguns dias após o jornal O Globo divulgar que o INSS fechou um contrato de R$ 8,8 milhões com uma empresa de informática sediada em um pequeno estoque de bebidas, em Brasília.

INSS
O Ministério do Desenvolvimento Social confirmou nesta quarta-feira, 16, a demissão do presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Francisco Lopes Foto: André Dusek/Estadão

O contrato tinha a função de garantir o fornecimento de programas de computador para o órgão federal e foi assinado em abril, mesmo após parecer de técnicos do INSS indicar que os programas de computador oferecidos pela RSX não terem utilidade para o órgão.

Francisco Lopes era apadrinhado do líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE). Recentemente, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a condenação de Moura por um suposto esquema de desvio de verbas na Prefeitura de Pirambu, em Sergipe, no âmbito de uma ação penal no Supremo Tribunal Federal.

Em nota, o PSC disse não ter indicado Lopes à presidência do INSS. Além disso, esclarece  que ele não faz parte do quadro de filiados ao partido.*

(*) Renan Truffi, O Estado de S.Paulo