ENTRE A CRUZ E A CALDERINHA

Rejeitado pelo centrão, Bolsonaro vai se encontrar com lideranças de partidos nanicos
Líder do governo na Câmara resolveu enfrentar grupo de legendas descontentes com o Planalto


BRASÍLIA — O líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), tentou marcar uma reunião do presidente Jair Bolsonaro com Elmar Nascimento (BA) e Arthur Lira (AL), líderes do DEM e do PP, para apaziguar os ânimos no Congresso. Após a recusa de ambos, porém, foram convidados os líderes de um grupo menor que vem se mobilizando para manter, na votação da Medida Provisória (MP) que organizou o governo Bolsonaro, o Coaf nas mãos de Sergio Moro, ministro da Justiça.

O grupo convocado às pressas por Vitor Hugo na manhã desta terça-feira inclui PPS, PSC, Podemos, Patriota, Novo e PV. Juntas, essas legendas possuem 43 deputados. Após a MP passar por uma comissão na última quinta-feira, esses partidos se uniram para tentar impedir a votação no plenário da Câmara, apesar de o próprio ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ter feito um acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para encaminhar a MP.

Após a atuação desse grupo, a votação foi adiada, o que põe em risco a estrutura administrativa do governo Bolsonaro. Se a medida não for aprovada pela Câmara e pelo Senado até 3 de junho, ela perde a validade. Ou seja, passaria a valer a estrutura ministerial do governo Temer. Esses líderes partidários se reuniram de manhã com Vitor Hugo e, logo depois, foram convidados para o encontro com Bolsonaro.

Líderes do centrão estão irritados com declarações recentes de Vitor Hugo, que indicou ter apoio de “vários líderes” para votar a MP ainda esta semana e colocou em suspeição parlamentares que queriam votar “tão apressadamente” a proposta na última quinta-feira. Na semana passada, após a comissão ter aprovado com alterações o texto, incluindo a criação de dois novos ministérios, deputados do PSL resistiram ao acordo feito com Onyx. Maia, então, colocou cinco Medidas Provisórias diferentes para tramitar com prioridade.

— Vamos ao presidente da República declarar que nós, líderes partidários, somos a favor de manter o Coaf no Ministério da Justiça e da não criação de dois ministérios — disse Marcel Van Hattem (RS), líder do NOVO na Câmara.

Enquanto a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-GO), tentava costurar acordo com líderes do centrão, Vitor Hugo resolveu unir os esforços de outros partidos.  Antes da reunião de líderes de todos os partidos da Câmara que ocorrerá na tarde desta terça-feira e definirá a pauta da semana, Joice afirmou a aliados que sentará longe do colega de partido. Ela prevê um “massacre” contra o deputado.

Segundo líderes do centrão ouvidos pelo GLOBO, não há clima político para votar nenhuma Medida Provisória nesta semana. Mesmo assim, Vitor Hugo insiste em dizer publicamente, nas redes sociais, que irá aprovar três MPs, inclusive a da reforma administrativa.*

(*) Natália Portinari e Bruno Góes, O Globo