UM GOVERNO SEM ESCRÚPULOS

Surge uma nuvem de tempestade a ameaçar os caminhos da democracia brasileira

Resultado de imagem para carlos bolsonaro charges

Charge do Aroeira (jornal O Dia-RJ)

O presidente Jair Bolsonaro, tão logo reassuma seu posto, inevitavelmente terá de decifrar a mensagem que o vereador Carlos Bolsonaro divulgou nas redes sociais afirmando que a transformação do país, ao nível do projeto do governo, não virá por via democrática. Acrescentou que, por causa do atual regime, mudanças não poderão ser feitas na velocidade almejada. Com chamada na primeira página, O Globo, edição de hoje, publicou com destaque o texto do filho do presidente da República.

Carlos Bolsonaro acrescentou outros conceitos nos quais baseia sua argumentação. Eis aqui uma de suas frases: “Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam dominando de jeitos diferentes”.  Destacou ainda que “como meu pai, também estou muito tranquilo. O poder jamais me seduziu”.

RADICALISMO – A afirmação ganha importância, a meu ver, na medida em que pode estar representando uma corrente de pensamento de grupos radicais. Vale frisar que o presidente Jair Bolsonaro chegou ao poder pelas urnas democráticas; da mesma forma, o deputado Eduardo Bolsonaro, e ele próprio, Carlos Bolsonaro.

Na verdade, o poder nunca pode estar vazio, pois isso corresponderia a um estado de absoluta anarquia. Para alcançar o poder só existem dois caminhos: as urnas ou as armas. Não há terceira via.

Foi pela via democrática que Jair Bolsonaro chegou a presidência da República, numa eleição que representou a manifestação muito forte da opinião pública, de repúdio ao PT e ao período de Michel Temer.

COMEÇAM ASSIM – As rupturas democráticas começam assim, com declarações fortemente colocadas como símbolo e meta de uma renovação, ou para afastar ameaças que atingem tanto o governo quanto a sociedade. E atingem sobretudo o regime de liberdade que caracteriza as democracias, das quais não queremos de forma alguma nos afastar.

Foi assim em 1937, quando Getúlio Vargas tornou-se ditador. Explico: Vargas chegou ao poder pela Revolução de 30. Em 34 foi eleito indiretamente, em novembro de 37 implantou uma ditadura (Estado Novo) que se estendeu por 8 anos. Sua permanência no poder estendeu-se por 15 anos. DE 1930 a 1945.

Passados 19 anos, a crise do governo João Goulart levou a implantação de uma ditadura político militar. Durou 21 anos. A liberdade – essencial para a dignidade humana – foi suprimida e em seu lugar vieram atos institucionais e fechamento da estrada que leva a plenitude democrática.

DITADURAS – Experiências de chegada ao poder assim não faltam. Por esse motivo, o presidente da República,eleito por esmagadora maioria, está na obrigação de esclarecer o episódio destacado nesta segunda-feira, inclusive pelas redes sociais.

Aliás. Na terça-feira, as redes sociais continuaram a refletir a repercussão intensa e as manifestações contra a ameaça contida nas palavras de Carlos Bolsonaro.

O episódio reflete bem a reação da opinião pública. Não à ditadura e sim à democracia.*

(*) Pedro do Coutto – Tribuna na Internet