TIROTEIO NA CASA DE TOLERÂNCIA

“Sei o que vocês fizeram no verão passado”, rebate Joice Hasselmann após críticas de Eduardo Bolsonaro

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) atribuiu a divulgação na internet da imagem de seu rosto estampando uma nota de R$ 3 à ação do que chamou de “milícia digital. Ela ainda insinuou que pode revelar segredos dos que a atacam, dizendo saber quem são (os que formam a milícia digital) e o que “eles fizeram no verão passado”.

VERÃO PASSADO – “Olha só mais um ‘presentinho’ da milícia digital para mim. Anota aí: NÃO TENHO MEDO DA MILÍCIA, NEM DE ROBÔS! Meus seguidores são DE VERDADE, orgânicos. E não se esqueçam que eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado”, escreveu no Twitter.

A imagem foi compartilhada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro(PSL-SP), junto a um texto repleto de críticas à deputada. “Se acha a dona de tudo, ‘porque EU aprovei’, ‘porque EU isso’, ‘EU aquilo’, ‘EU sou mais filha do que os filhos do presidente’, ‘EU sou a Bolsonaro de saias’, mas correu a noite coletando assinaturas para termos Delegado Waldir de líder, pessoa que irritada com o presidente orientou obstrução à MP 886, botando em risco uma pauta nacional devido a um problema pessoal”, escreveu Eduardo em seu perfil no Instagram e no Facebook.

“Ou seja, final das contas estão todos trabalhando contra o cara que os elegeu, mas pela frente dizem que estão com Bolsonaro e postam fotos com ele – se não precisavam de Bolsonaro por que se filiaram ao partido dele na eleição?”, questionou.

COBRANÇA – A resposta de Hasselmann fez parte da oposição se manifestar cobrando que ela revele o que diz saber. Uma delas foi a deputada Samia Bonfim (PSol-SP), que escrveu no Twitter: “A deputada Joice não tem que ‘contar’ o que sabe. O termo correto é ‘depor’. Está com raiva agora porque foi retirada da liderança, mas esteve até agora atuando com essas milícias virtuais bolsonaristas que afirma conhecer”.

CRISE INTERNA – Na noite de quarta-feira, dia 16, teve início uma “batalha de listas” no PSL para definir quem seguirá como líder do partido na Câmara dos Deputados. O grupo alinhado a Bolsonaro tentou destituir o deputado Delegado Waldir do cargo ao colher uma lista com assinaturas a favor da condução de Eduardo Bolsonaro para a liderança do partido.

A ala ligada a Luciano Bivar (PSL-PE), no entanto, respondeu com uma nova lista que pedia a permanência de Waldir no cargo, o que foi acatado pela Mesa Diretora da Câmara. O fato de Joice ter assinado a lista do grupo de Waldir irritou o presidente, que a tirou da liderança do governo.

PRESSÃO – Nesta sexta-feira, dia 17, durante a convenção extraordinária do PSL, Hasselmann se queixou da pressão exercida pelo presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. Na avaliação dela, ou o grupo estaria tentando tomar para si a legenda ou querem a liberação dos separatistas para seguirem para outro partido.

“Não se trata de Bivar ou Bolsonaro. Aqui não é essa a discussão. O presidente não deveria ter entrado na discussão. O presidente erra ao se meter em uma decisão partidária. Isso desmerece, enfraquece o presidente. Ele tem que ficar no PSL. Ele precisa do PSL e o PSL precisa dele. Na Câmara, eu quero ver qual o matemático que dará mais de 308 votos para o governo sem um PSL unido”, disse Hasselmann.*

(*) Correio Braziliense