BOÇALIDADE SEM LIMITE

“Infames”, diz China sobre comentários de Eduardo Bolsonaro relacionados a 5G

Eduardo Bolsonaro embaixador dos EUA: A internet também quer uma boquinha  assim | HuffPost Brasil Comportamento

A Embaixada da China apresentou uma reclamação formal ao governo brasileiro devido a uma provocação postada no Twitter por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O deputado federal que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara acusou o Partido Comunista Chinês de espionagem, ao falar sobre a adesão do Brasil à Clean Network (Rede Limpa), iniciativa organizada pelos Estados Unidos para impedir a Huawei de operar os serviços de 5G. Segundo O Globo, a embaixada classificou as declarações do filho do presidente Jair Bolsonaro como “infames”, e afirmou que elas prejudicam o Brasil.

“Instamos essas personalidades a deixar de seguir a retórica da extrema direita norte-americana, cessar as desinformações e calúnias sobre a China e a amizade sino-brasileira, e evitar ir longe demais no caminho equivocado, tendo em vista os interesses de ambos os povos e a tendência geral da parceria bilateral. Caso contrário, vão arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”, diz o documento.

O tuíte de Eduardo sobre a “espionagem da China” foi publicado na segunda-feira (23), mas foi excluído. Os diplomatas chineses aproveitaram para lembraram que a China é o maior parceiro comercial do Brasil há 11 anos consecutivos, além de investir constantemente no país. Em março, Eduardo Bolsonaro confrontou Pequim ao culpar a China pela pandemia de Covid-19.*

(*) Gazeta do Povo

CASO DE POLÍCIA

Congresso aprova convite a Pazuello para explicar testes encalhados

Ministério da Saúde nega acordo com Doria para compra de vacinas chinesas  após pressão de Bolsonaro | NSC Total

A comissão mista do Congresso que acompanha as ações de combate à pandemia aprovou nesta terça-feira, 24, um convite ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para explicar a situação dos 6,86 milhões de testes para diagnóstico da covid-19 que estão encalhados na Pasta e próximos de perder a validade.

O requerimento, apresentado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), pede uma audiência pública com o ministro para “buscar informações e esclarecimentos sobre a reportagem publicada pelo jornal Estadão”. Ainda não foi definida a data da reunião e cabe ao ministro a decisão de comparecer ou não.

No domingo, o Estadão revelou que um carregamento de quase 7 milhões de testes adquiridos pelo Ministério da Saúde nunca distribuídos e estocados no aeroporto de Guarulhos perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro do ano que vem e podem ser jogados no lixo. Em comparação, até hoje, o Brasil, cujos hospitais sofriam com a falta de testes suficientes para a população, aplicou cerca de 5 milhões de testes.

A comissão também aprovou outro requerimento, da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), para que Pazuello preste informações sobre a situação dos testes no País.

Na segunda, o presidente Jair Bolsonaro tentou atribuir aos governadores e prefeitos, e não o governo federal, o encalhe. “Todo o material foi enviado para Estados e municípios. Se algum Estado/município não utilizou deve apresentar seus motivos (sic.)”, disse. Porém o depósito em Guarulhos em que se encontram os testes é do governo federal e os testes não foram repassados para a rede pública.

Na segunda, o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União pediu uma investigação do caso e a tomada de medidas imediatas para evitar o desperdício dos testes na segunda. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) entrou, também na segunda, com pedido na Procuradoria-Geral da República pela abertura de ação de improbidade administrativa contra Pazuello.*

(*) Equipe BR Político

TURMINHA BOA

1ª Turma do STF mantém Arthur Lira como réu

Pin em HumorPolitico.com.br

Réu em processo por receber propina de R$ 106 mil oferecida pelo ex-presidente da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU) Francisco Colombo, o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), que batalha para ser presidente da Câmara dos Deputados com apoio do presidente Jair Bolsonaro, sofreu uma derrota nesta terça, 24, no Supremo Tribunal Federal.

Por unanimidade, a Primeira Turma do STF rejeitou hoje em votação um recurso apresentado pela defesa do deputado contra a denúncia. O julgamento, no entanto, foi interrompido por um pedido de vista (mais tempo para análise) do ministro Dias Toffoli, o que, na prática, “trava” a abertura de uma ação penal para apurar as acusações contra o parlamentar.

“O inconformismo com a conclusão do julgamento, a revelar pretensão de rediscutir as matérias, é incompatível com os (embargos) declaratórios (tipo de recurso apresentado pela defesa de Lira)”, disse Marco Aurélio Mello, relator do inquérito.

Os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, acompanharam o entendimento do colega, formando maioria para que o recurso seja negado, registra Rafael Moraes Moura, do Estadão.

Investigação
De acordo com a denúncia apresentada em 2018 pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o assessor parlamentar Jaymerson José Gomes de Amorim, servidor público da Câmara dos Deputados, foi apreendido com R$ 106 mil em espécie quando tentava embarcar no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com destino a Brasília utilizando passagens custeadas pelo deputado federal.

Ao tentar passar pelo aparelho de raio x, o assessor foi abordado por agentes aeroportuários e detido pela Polícia Federal.

A PGR narra que os valores apreendidos deveriam ser entregues a Lira, em troca de apoio político para manter Francisco Colombo no cargo de presidente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Segundo a PGR, foi o deputado quem determinou que Jaymerson escondesse as notas de dinheiro na roupa (bolsas do paletó, cintura e dentro das meias).

Quadrilhão do PP
Lira é réu em outro caso perante o STF, o do “quadrilhão do PP”, no qual é investigado pelo crime de organização criminosa. O parlamentar é acusado de participar de um esquema de “cometimento de uma miríade de delitos” e arrecadação de propina por meio da utilização de diversos órgãos da administração pública, como a Petrobrás, a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades.*

(*)Equipe BR Político

TOTALMENTE UM DESQUALIFICADO

Bolsonaro não ouviu nenhum recado das urnas

No primeiro turno, o eleitor deixou bem claro seu descontentamento com o radicalismo. Votou a favor de candidatos moderados e rejeitou a chamada antipolítica, que viveu seu auge em 2018 com a onda bolsonarista. Apesar disso, e mesmo vendo a derrota da imensa maioria dos nomes que apoiou, Jair Bolsonaro parece não ter escutado recado nenhum das urnas e segue na mesma toada que o levou ao Planalto.

Oito dias depois do primeiro turno, o presidente vai enfileirando uma polêmica atrás da outra. Já reforçou – sem qualquer prova – sua tese sobre o risco de fraude nas urnas eletrônicas; já atacou os países estrangeiros que criticam a política ambiental do governo, ameaçando e depois recuando denunciar os que compram madeira ilegal brasileira; continuou com seu negacionismo do coronavírus, chegando a elogiar os agricultores por “não terem sido frouxos” e parado durante a pandemia; passou ao largo do assassinato de João Alberto Freitas, morto por seguranças do Carrefour, num caso que envolve racismo e chocou o País; desfilou pendurado do lado de fora de um carro em Amapá, como se estivesse em campanha, depois que o Estado já enfrentava há 15 dias um terrível apagão de energia (que ainda continua).

São alguns exemplos e há muito mais. Nesta segunda-feira, 23, usou o termo “idiota” para se referir a pessoas que o lembrem que o Estado é laico. Mas não é preciso se enganar. Esse é e sempre foi o estilo de Bolsonaro, antes mesmo de chegar à Presidência. A diferença é que o eleitor deu sinais de que está cansado desse estilo. E é aí que os projetos políticos do presidente – reeleição em 2022, obviamente – estão ameaçados.

E há outro fator que ajuda a tapar ainda mais os ouvidos de Bolsonaro para o risco de continuar a se expor com o discurso mais radical. Quase sempre está cercado por bajuladores ou integrantes da ala ideológica, que defendem que mantenha a beligerância na sua fala. Nas eleições municipais, Bolsonaro acabou vendo o naufrágio de candidatos em quem investiu abertamente, como foi o caso de Celso Russomanno, em São Paulo, Delegada Patrícia, em Recife, e Bruno Engler, em Belo Horizonte. Todos acabaram bem longe. No segundo turno, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, apoiado fortemente pelo presidente, deverá ser derrotado por Eduardo Paes por larga margem. Será mais um recado. Mas é difícil acreditar que, dessa vez, ele vá assimilar a mensagem e dê um freada de arrumação. O tempo dirá se aposta arriscada do presidente dará certo ou não.*

(*) Marcelo de Moraes – Estadão

“CALADO É UM POETA”

ELES VIVEM EM OUTRO PLANETA

Mourão disse que não existe racismo no Brasil. Mas quem disse que Exército (onde o vice passou a vida toda) estuda o tema? Pesquisei na base do Exército todas as dissertações, monografias, teses, em todas as principais escolas, tanto título quanto tema racismo. O resultado:

PROVANDO A QUADRATURA DA TERRA

Autoridade republicana da Geórgia desafia pressões e certifica vitória de Biden

‘Números não mentem’, diz secretário de Estado, Brad Raffensperger; após encontro com Trump, parlamentares de Michigan dizem não ter informações que mudariam resultado no estado, onde democrata também venceu

Pin em Donald Trump

WASHINGTON — Em desafio a pressões de Donald Trump e seus aliados, a Geórgia, governada por republicanos, certificou na tarde desta sexta-feira a vitória local do democrata Joe Biden, que lhe garantiu 16 votos no Colégio Eleitoral, dos 306 que obteve no total, segundo projeções a partir dos resultados estaduais. O anúncio foi feito após uma recontagem pedida pelo Partido Republicano, que confirmou a dianteira de Biden, garantindo assim a primeira vitória para seu partido no estado desde 1992.

Mais cedo, em entrevista, o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, que é republicano, antecipara que a vitória do democrata seria certificada, uma etapa necessária para que cada estado americano indique seus delegados ao Colégio Eleitoral, que se reunirá em 14 de dezembro. O desfecho é mais uma derrota para Trump, que trava uma até agora mal-sucedida cruzada legal para reverter sua derrota eleitoral.

Análise:Manobras de Trump para mudar resultado da eleição são sem paralelo na História dos EUA

Na entrevista, Raffensperger apresentou-se como um “conservador apaixonado” e um “torcedor orgulhoso de Trump”, mas disse que não havia dúvidas sobre o resultado:

— Após trabalhar como engenheiro durante toda a minha vida, eu vivo pelo lema de que os números não mentem. Como secretário de Estado, acredito que os números que apresentamos hoje estão corretos. Eles refletem o veredicto do povo, não uma decisão do secretário de Estado, dos tribunais ou de uma das campanhas — afirmou.(…) *

(*) O Globo

IRRESPONSABILIDADE TOTAL E ABSOLUTA

Primeiro ato de prefeito de Porto Seguro será liberar festas de réveillon

O prefeito eleito de Porto Seguro (BA), Jânio Natal (PL), afirmou em vídeo que vai publicar um decreto de liberação das casas de festas da cidade para a realização do réveillon tão logo o relógio marque a entrada de 2021. “A cerimônia de posse nossa será possivelmente a zero hora e um minuto. Vou baixar um decreto e a partir de uma hora da manhã e todas as casas de eventos de Porto Seguro estarão liberadas para fazer o réveillon”, diz na gravação, publicada na coluna Direto da Fonte, do Estadão.

A atual prefeita Cláudia Costa (PSD) editou um decreto no último dia 12 autorizando festas de Ano Novo com limite de ocupação de 60% nos estabelecimentos. Até o dia 27 de dezembro, bares, restaurantes, clubes, cabanas e outros estabelecimentos poderão funcionar até as 4h. A partir do dia 28, até 6h.

Segundo dados do site da prefeitura, a covid já matou 8.038 pessoas na cidade. O número de casos é de 380.294.*

(*) Estadão

CAPITÃO DO MATO DO BOLSONARO

Sérgio Camargo diz que ‘não existe racismo estrutural no Brasil’

Pin em DE TUDO UM POUCO

Depois do negacionismo do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, sobre o racismo no Brasil nesta sexta-feira, 20, o presidente da Fundação Palmares decidiu embarcar no discurso em pleno Dia da Consciência Negra. Sérgio Camargo, que é crítico do Dia da Consciência Negra e do próprio Quilombo dos Palmares afirmou que “não existe racismo estrutural no Brasil”. Nesta sexta, a Fundação não emitiu nenhum pronunciamento ou realizou evento sobre o tema.

“Não existe racismo estrutural no Brasil; o nosso racismo é circunstancial – ou seja, há alguns imbecis que cometem o crime. A ‘estrutura onipresente’ que dia e noite oprime e marginaliza todos os negros, como defende a esquerda, não faz sentido nem tem fundamento”, escreveu nas redes sociais.

A declaração vem no dia seguinte da morte de um homem negro em um supermercado carrefour em Porto Alegre por um segurança e um PM brancos por espancamento, quando diversas autoridades têm repudiado o ato e atentado à necessidade de políticas para coibir o racismo no País. A polícia está investigando a motivação do assassinato.

Em julho, Camargo chegou a chamar o movimento Black Lives Matter que ganhou força depois da morte de George Floyd, um afro-americano assassinado por um policial branco nos Estados Unidos, em protestos contra o assassinato de negros pela polícia, de “lixo esquerdopata”.*

(*) BR Politico – Estadão