AOS AMIGOS, TUDO. AOS INIMIGOS, A LEI

Bolsonaro reage às críticas de Santos Cruz e diz que o general-ministro é ‘página virada’

random image

O presidente Jair Bolsonaro reagiu às críticas feitas pelo general da reserva do exército Carlos Alberto dos Santos Cruz em entrevista à Época nesta quinta-feira. Após participar da Marcha para Jesus, em São Paulo, nesta quinta-feira, Bolsonaro afirmou que o general, ex-ministro da Secretaria de governo, é “página virada”.

Ao ser questionado sobre a declaração dada por Santos Cruz à revista, de que o governo é um “show de besteiras”, o presidente demonstrou irritação: “Ele (Santos Cruz) integrou o governo por seis meses e nunca disse que tinha bobagem lá dentro”, disse o presidente.

MUDAR O FOCO – Ao ouvir outras perguntas sobre as críticas do seu ex-ministro, Bolsonaro pediu para mudar o foco da entrevista: “Vamos falar de Brasil. Façam pergunta inteligente”

Na entrevista para Época, Santos Cruz disse que o governo perde tempo com “bobagens” quando deveria priorizar questões relevantes para o país. “Tem de aproveitar essa oportunidade para tirar a fumaça da frente para o público enxergar as coisas boas, e não uma fofocagem desgraçada. Se você fizer uma análise das bobagens que se têm vivido, é um negócio impressionante. É um show de besteiras. Isso tira o foco daquilo que é importante”, afirmou o ex-ministro.

Santos Cruz foi demitido por Bolsonaro da Secretaria de Governo na semana passada.*

(*) Gustavo Schmitt
Época

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG DA TRIBUNA NA INTERNET
 – Bolsonaro demitiu o ex-amigo Santos Cruz secamente, sem revelar o motivo. E o general, que é uma pessoa digna e altiva, nem perguntou. O que revela a “Rádio Corredor” do Planalto é que o ministro foi exonerado porque não aceitou privilegiar, na distribuição de verbas publicitárias do governo, os sites e blogs que ficam puxando o saco de Bolsonaro sem fazer jornalismo de verdade. Um dos blogs que seriam “patrocinados”, por coincidência, é editado pelo escritor Olavo de Carvalho, o guru virginiano.

O futuro secretário de Governo, Luiz Eduardo Ramos, que também é general, terá de ser mais maleável e compreensivo, caso contrário também será detonado pelos filhos de Bolsonaro, que estão atuando mais discretamente, porém já recuperaram o controle do governo, enquanto a ala militar está perdendo terreno para os ”olavetes”, apelido que o próprio guru deu a seus fiéis seguidores. (C.N.)