BRIGA DE BANDIDOS

A estratégia da Bolsonaro para abafar a voz do homem que denunciou o 01

 

Jair Bolsonaro e seu primogênito, Flávio, evitarão ao máximo citar o nome de Paulo Marinho, que acusou o 01 de ter recebido informações privilegiadas da Polícia Federal sobre a investigação a Fabrício Queiroz.

Pai e filho foram aconselhados a não mencionar o nome do inimigo para evitar que os ataques bombem a candidatura de Marinho à prefeitura do Rio de Janeiro. Ele sairá pelo PSDB, de João Doria.*

(*) Gabriel Mascarenhas, na coluna do Lauro Jardim – O Globo