QUANDO O FASCISMO MOSTRA A CARA

Gilmar sobre pedido de perícia em celular:
‘Não podemos distorcer’

Não tinha habeas corpus. Por Jota Camelo

Após o ministro Augusto Heleno fazer o escarcéu contra o despacho do ministro Celso de Mello com pedido da oposição à Procuradoria-Geral da República para que o celular do presidente Jair Bolsonaro seja periciado, no âmbito do inquérito que apura se o chefe do Planalto interferiu politicamente na Polícia Federal, o ministro Gilmar Mendes reagiu nesta tarde de domingo, 24, pelo Twitter.

“O envio de notícia-crime por Ministro do STF à PGR é ato meramente formal, que não contém nenhuma antecipação do Tribunal sobre os fatos. É despacho de rotina que segue o rito do art. 230-B do RISTF. Não podemos distorcer o significado de um ato jurídico meramente ordinatorio”, escreveu Gilmar.

Como você leu aqui no BRP, o general fez uma espécie de alerta às autoridades de que o despacho poderá ter “consequências imprevisíveis”, provocando reação da oposição com representação à PGR contra o ministro. Hoje, Heleno recebeu carta de apoio de 89 oficiais da reserva do Exército.*

(*) Equipe BR Político – Estadão