FARINHAS DO MESMO SACO, PODRE

Os renegados

GZH on Twitter: "Veja a charge do Iotti desta terça-feira. Veja todas em:  https://t.co/FRBVqXOzeH… "

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula continuam polarizando a disputa eleitoral de olho em 2022, mas as recentes pesquisas de intenções de votos mostram que os dois não são os cabos eleitorais mais decisivos nesta eleição municipal. Pelo contrário. São desprezados pelos eleitores. Ambos são os personagens mais rejeitados e se depender deles, os candidatos que contam com a simpatia desses líderes não se elegerão prefeitos ou vereadores neste ano. De acordo com o Datafolha, Bolsonaro e Lula têm rejeições que passam dos 50% nas principais capitais brasileiras e puxam para baixo os candidatos que contam com seu apoio. Essa aversão aos dois acontece em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife, os quatro maiores colégios eleitorais brasileiros.

São Paulo
Na capital paulista, essa constatação é ainda mais clara. Bolsonaro é rejeitado por 63% dos eleitores e Celso Russomanno (Republicanos) perderá se insistir em se escorar no presidente. Já Lula, com uma rejeição de 54%, não conseguirá melhorar a situação de Jilmar Tatto, candidato do PT, que está com 1% das intenções de votos, entre os últimos.

Antipatia
Os que pensam em ter Bolsonaro e Lula em seus palanques no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife também se darão mal. No Rio, Bolsonaro tem uma rejeição de 59% e Lula, 58%. No Recife, Lula é mal avaliado por 41% e, Bolsonaro, por 63%. Em Belo Horizonte é a mesma coisa. Bolsonaro é desprezado por 53% e Lula, por 57%. Campeões de antipatia.*

(*) Germano Oliveira – Isto É