E VIVA O BANANÃO

“VAI VACINA AÍ?”

 

As pessoas preocupadas com a dificuldade de importar a vacina da Pfizer para o Brasil —principalmente porque o imunizante precisa ser conservado em temperaturas baixíssimas— estão subestimando o empreendedorismo do brasileiro. Posso apostar que muito em breve teremos ambulantes nas praias do Rio de Janeiro carregando a vacina dentro do isopor (“é derreal duas dose! Por quinze leva Viagra também! Fica vacinado e deixa a patroa feliz!”) e algumas doses guardadas em geladeira de padaria, ali meio escondidas atrás das caixas de Eskibon. Como disse um amigo, daí para um “drinque do verão” misturando vacina pra Covid-19, Viagra e Corote será um pulinho. Aguardem e confiem.*

(*) Ruy Goiaba – Crusoé