NA ERA DAS TREVAS

Ernesto chama legalização de aborto de ‘barbárie’

O ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, se manifestou de forma contrária à legalização do aborto aprovada ontem na Argentina. Para o chanceler, um dos mais conservadores integrantes do governo Bolsonaro, o Brasil não seguirá na mesma direção e chamou a legalização de “barbárie”.

“O Brasil permanecerá na vanguarda do direito à vida e na defesa dos indefesos, não importa quantos países legalizem a barbárie do aborto indiscriminado, disfarçado de “saúde reprodutiva” ou “direitos sociais” ou como quer que seja”, escreveu o ministro no seu Twitter.

A PROPÓSITO

Em 67 países, interromper gravidez é decisão da mulher.

Levantamento feito pela organização não-governamental Center for Reproductive Rights aponta que a maioria dos países desenvolvidos permite o aborto até o terceiro mês de gestação.