QUINTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2021

A WDR BIG BAND,  de Colônia, Alemanha,  toca juntamente com Andrea Motis (vozes / trompete) “Señor Blues”, uma composição de Horace Silver, num arranjo de Michael P. Mossman. Solos são tocados por Andrea Motis ( trompete), Jens Neufang ( clarinete baixo), Ruud Breuls (trompete), Billy Test  (piano) e Andy Hunter  (trombone).

PIADA PRONTA

PTB prepara documento pedindo filiação de Bolsonaro

Documento será assinado por todos os presidentes estaduais

 

PTB de Roberto Jefferson segue firme na intenção de filiar Jair Bolsonaro. Nesta quarta-feira (29/9), a presidente interina da sigla, Graciela Nienov, disse aos presidentes estaduais do PTB que a legenda está pronta para a empreitada. E pediu que todos os dirigentes assinassem um documento pedindo a vinda da família Bolsonaro.Além de buscar se fortalecer na corrida por Bolsonaro, que tem o PP entre os adversários, o PTB busca deixar claro que o clã não terá a mesma dor de cabeça que teve com o Patriota.

Em maio, Flávio Bolsonaro se filiou ao Patriota, com a promessa de levar o pai logo depois. Quatro meses depois, o presidente da legenda, Adilson Barroso, foi retirado definitivamente do comando do partido, e Flávio Bolsonaro ficou a ver navios.*

(**) Eduardo Barretto -Metrópoles

CARLUXO JÁ É ‘DESEQUILIBRADO’…

Carlos Bolsonaro segue “desnorteado” por ser apontado como “chefe de organização criminosa”

Carlos Bolsonaro ainda não digeriu a notícia de que é considerado pela Justiça como chefe de suposta organização criminosa

Carlos Bolsonaro ainda não digeriu a notícia de que é considerado pela Justiça como chefe da suposta organização criminosa que operou no esquema de corrupção em seu gabinete na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro.

Segundo um interlocutor próximo do vereador, Carlos está “desnorteado” desde a semana passada quando a informação veio à tona.

O juiz Marcello Rubioli, da 1ª Vara Criminal Especializada do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, disse, baseado no que lhe foi apresentado pelo Ministério Público, que “Carlos Nantes [Bolsonaro] é citado diretamente como o chefe da organização”.

A estratégia de defesa de Carlos deve se assemelhar à do irmão Flávio. Ou seja: buscar nulidades processuais com o objetivo de tentar melar o caso.*

(**) Guilherme Amado – Metrópoles

PAULADA NA CABEÇA DA COBRA

Moraes cobra documentos de empresa de redes sociais contratada pelo PTB

Presidente do partido, Roberto Jefferson é alvo de investigações no STF e no TSE

Prisão de Roberto Jefferson - Carlos Latuff - Brasil 247

O ministro Alexandre de Moraes cobrou notas fiscais e relatórios da empresa que presta serviços de redes sociais ao PTB, presidido por Roberto Jefferson. O documento foi assinado nesta terça-feira (28/9). Em outra frente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) investiga se Jefferson usou a estrutura do PTB para disseminar fake news.

Segundo a decisão de Moraes, a empresa Rafaela Armani terá cinco dias para fornecer documentos detalhados sobre serviço prestado ao partido de Jefferson, incluindo o material produzido. Procurada, a empresária que dá nome à firma afirmou que foi notificada e entregará todas as informações ao Supremo.

No documento, Moraes mencionou que o TSE já apura se Jefferson usou o PTB para disseminar informações falsas nas redes sociais. Essa investigação tramita na Corregedoria-Geral Eleitoral.

No âmbito da investigação de que é alvo no Supremo, Jefferson está preso desde 13 de agosto, acusado de integrar uma organização criminosa digital para atacar a democracia.*

(**) Eduardo Barretto – Metrópoles

UM GRANDE ACORDÃO

Por iminência de derrota no STF, Flavio Bolsonaro muda estratégia no caso das rachadinhas

Para Além do Cérebro: Vídeo esclarecedor do Meteoro Brasil sobre os  esquemas de Flávio Bolsonaro no vídeo intitulado "Flávio Bolsonaro:  Reputação Rachadinha"

Flavio Bolsonaro disse ontem (28) ao STF que a ação sobre quem deverá investigar, processar e julgar o caso das supostas rachadinhas em seu então gabinete na Alerj não deve mais ser analisada. A mudança na estratégia da defesa ocorreu porque o filho 01 de Jair Bolsonaro passou a avaliar que perderá essa batalha jurídica. Quis evitar a derrota judicial e a aparência de fragilidade política perante o Supremo.

A defesa do senador diz que a ação perdeu o objeto porque o MPRJ já concordou que a competência para cuidar da investigação é do Procurador-Geral de Justiça fluminense. “O prosseguimento da presente Reclamação viola os princípios da lealdade processual, bem como do devido processo legal”, afirmam os advogados.

O caso, que aguarda julgamento pela 2ª Turma do STF, já foi adiado duas vezes. A primeira autorizada por Gilmar Mendes, após pedido dos advogados de Flavio. E a segunda por decisão de Kassio Nunes Marques.*

(**) Redação

UM OUTRO PLANETA, MUITO DISTANTE…

Sem Mendonça, STF tem gabinete fantasma com mais de mil processos parados

 

Aroeira e o momento em que o sem vacina avançava no Xandão! | Jornal O Expresso

O STF (Supremo Tribunal Federal) guarda na cobertura de um de seus anexos um gabinete fantasma. Com 484 metros quadrados, o espaço era ocupado pelo ministro Marco Aurélio Mello, que se aposentou em 12 de julho. Dormem no gabinete 1.105 processos – que, sem um novo relator, estão com o andamento paralisado.

O local sofreu uma espécie de debandada recentemente. Dos cerca de 20 servidores, ao menos metade foi transferida para o gabinete do ministro Kassio Nunes Marques, que tomou posse em novembro do ano passado. O novato aguardou a aposentadoria do colega e convidou os funcionários para trabalhar com ele. Queria pessoas com experiência no Supremo.

Para completar o cenário, o gabinete que antes pertenceu a Marco Aurélio está em obras. Depois que tudo estiver pronto, a ministra Cármen Lúcia será a nova inquilina. O gabinete tem salas amplas, iluminação natural e conta com um jardim de inverno. Cármen Lúcia será vizinha de Gilmar Mendes, que ocupa o outro gabinete da cobertura.

Cármen Lúcia herdará apenas o espaço físico. Os processos de Marco Aurélio serão transferidos para o gabinete atual da ministra – que, por sua vez, será ocupado pelo novo integrante do tribunal. Se André Mendonça for aprovado na sabatina da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, a vaga será dele.

Passados dois meses e meio da aposentadoria de Marco Aurélio, ainda não se sabe quando o novo ocupante da vaga tomará posse. O presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM-AP), segue relutante para agendar a sabatina.

Embora seja uma longa espera, não é a maior de que o Supremo tem notícia. Quando Joaquim Barbosa se aposentou, em 2014, levou nove meses para seu substituto, Edson Fachin, tomar posse. A demora, na ocasião, não foi para a realização da sabatina, mas para a então presidente, Dilma Rousseff, escolher o novo ministro.

O acervo deixado por Marco Aurélio é dos menores do STF. Têm menos processos que ele apenas Alexandre de Moraes, com 703, e Cármen Lúcia, com 864. O ministro com maior número de processos aguardando julgamento é o presidente, Luiz Fux, com 4.217. Em seguida vem Fachin, com 2.546.

Entre os processos que serão herdados pelo novo ministro do STF, há casos polêmicos. Um deles é a queixa-crime ajuizada pelo senador Jaques Wagner (PT-BA) contra o presidente Jair Bolsonaro. O parlamentar acusa Bolsonaro dos seguintes crimes: perigo de contágio de moléstia grave, perigo para a vida ou saúde de outrem, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo e prevaricação. Os atos apontados se referem à forma como o presidente vem se portando durante a pandemia.

Em outro processo, são questionadas regras eleitorais – como o aumento dos recursos do Fundo Eleitoral de Financiamento de Campanha, a forma de atestar a inelegibilidade de um candidato e também a anistia por doações ilícitas. Até o substituto de Marco Aurélio tomar posse, essas ações ficarão paradas. Mas, se houver algum pedido urgente, o autor da ação pode pedir para Fux encaminhar o processo para outro relator.*

(**) Carolina Brígido
Colunista do UOL

UM CASO ESCABROSO

ANS revela-se veloz como cágado com Covid

O Médico e o Monstro - Filme 1931 - AdoroCinema

A Agência Nacional de Saúde (ANS) movimentou-se no caso da Prevent Senior com a velocidade de um cágado perneta acometido de Covid. Entrou em campo com um ano e seis meses de atraso, empurrada por um dossiê preparado por uma dúzia de médicos e pelo alarido da CPI da Covid.

Em março de 2020, quando a pandemia engatinhava no Brasil, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo pediu intervenção nos hospitais da Prevent Senior. O Ministério Público paulista instaurou uma investigação criminal. O então ministro da Saúde Henrique Mandetta mostrou-se preocupado, pois a rede hospitalar da Prevent concentrava 58% das mortes por Covid em São Paulo.

Nessa época, receitar cloroquina ainda fazia parte da vida. E a Agência Nacional de Saúde não saiu do lugar. Hoje, quando a prescrição da cloroquina faz parte da morte, a Prevent é acusada de maquiar prontuários para sumir com cadáveres da Covid. ANS informa que farejou indícios de que a operadora receitou os remédios ineficazes do kit Covid sem comunicar aos pacientes.

A agência reguladora autuou a operadora de Saúde, concedendo prazo de 10 dias para a apresentação sua defesa. A ANS não está sozinha em sua lentidão. Os conselhos médicos continuam paralisados. O Ministério Público de São Paulo acaba de constituir uma força tarefa para varejar a Prevent. Os médicos que testemunharam o drama por dentro continuam escondidos atrás de um dossiê anônimo.*

(**) Josias de Souza
Colunista do UOL

SÓCIOS DA MORTE

Governo deixa vencer testes de covid, remédios e vacinas; estoque de R$ 80 milhões será inutilizado

Ministério da Saúde foi alertado ao menos duas vezes sobre proximidade da data de validade de 32 tipos de insumos; documentos da pasta relatam o desperdício

Image

BRASÍLIA – A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), ligada ao Ministério da Saúde, deixou vencer milhares de kits para diagnóstico da covid-19 e dezenas de medicamentos e vacinas para outras doenças. O órgão foi notificado sobre a proximidade da data de validade de 32 tipos de insumos. Mesmo assim, não agiu a tempo de distribuí-los. O resultado é que, agora, milhares de imunizantes, soros, diluentes e testes que custaram R$ 80,4 milhões não foram aproveitados a tempo e terão de ser inutilizados.

O desperdício inclui, por exemplo, mais de 18 mil kits de testes de covid, considerados fundamentais pelos especialistas para monitorar e controlar a transmissão do vírus. Também estão na lista 44 mil vacinas meningocócicas (contra meningite) e 16 mil vacinas contra a gripe.

As informações constam de documentos internos da pasta obtidos pelo Estadão. O material estava armazenado no Centro de Distribuição que o Ministério possui em Guarulhos (SP). Planilha do Ministério da Saúde aponta que, para sete desses insumos, houve mais de uma notificação sobre o vencimento do prazo. A SVS foi alertada, em abril e em junho deste ano, sobre produtos que venceriam entre 8 de julho e 31 de agosto. Eles custaram R$ 2,6 milhões aos cofres públicos.

Todos esses insumos fazem parte de uma lista de 271 itens que perderam a validade entre 2017 e 2021. Os insumos da planilha somam 1,8 milhão de unidades e custaram R$ 190,8 milhões aos cofres públicos. Quase a totalidade deles, ou 96%, foram perdidos a partir de 2019, durante o governo do presidente Jair Bolsonaro. O prejuízo foi de cerca de R$ 190,1 milhões a partir de 2019, ante o prejuízo de R$ 680 mil ocorrido entre 2017 e 2018.

Um ofício da coordenadora-geral substituta de Logística de Insumos Estratégicos para Saúde, Katiane Rodrigues Torres, de 22 de setembro, registrou que houve “comunicação prévia, da proximidade de vencimento desses medicamentos”. Ela apontou, no entanto, a “ausência de resposta das áreas responsáveis, em tempo hábil, para a distribuição destes Insumos Estratégicos para Saúde – IES”.

A coordenadora pediu que fosse apresentada justificativa sobre os vencimentos e citou ainda os custos de armazenagem, que aumentaram “consideravelmente” a execução do contrato. O requerimento foi encaminhado por ela ao diretor de Logística do Ministério da Saúde, general Ridauto Lúcio Fernandes. Ele, por sua vez, enviou a documentação à SVS com pedido para que cada item da planilha tivesse “uma justificativa própria, não podendo a manifestação ser feita de forma genérica”.

Fernandes citou, no documento, uma reunião da pasta com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, secretários e a consultoria jurídica da Saúde, em 13 de setembro, na qual “foi exposta a situação dos medicamentos que encontram-se armazenados em Guarulhos e que estão com o prazo de validade vencido”.

Na lista de itens que se perderam, estão kits para diagnóstico de covid, dengue, zika e chikungunya, vacinas contra gripe, pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b), tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) e BCG, soros e diluentes.

‘Longe de ser um episódio, reflete toda a conduta da política pública do governo federal há pelo menos 2 anos’
Carlos Lula, Presidente do Conass
Os testes para covid, dengue, zika e chikungunya são os itens mais caros perdidos pelo Ministério da Saúde. Por estes, a pasta pagou R$ 133 milhões. Deste total, R$ 77 milhões apenas pelos kits para detecção do novo coronavírus.

Na avaliação do presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, “perder doses de algo que é plenamente controlável” é consequência da “falta de planejamento do Ministério”. “Longe de ser um episódio, reflete toda a conduta da política pública do governo federal há pelo menos 2 anos”, disse ele, titular da pasta do Mranhão.

A reportagem questionou o Ministério da Saúde sobre os milhares de testes e medicamentos vencidos. A pasta, porém, não respondeu até as 10 horas desta terça-feira, 28.

Veja 15 insumos que perderam a validade em 2021:

Vacina Meningocócica com líquida seringa preenchida – 44.250
Vacina BCG Intradérmica 10 doses – 27.055
Kit Amplificação Sars-Cov2 – 100 reações – 18.257
Vacina contra a gripe 10 doses – 16.432
Imunoglobulina anti-tetânica 250UI/ML Sol INJ 1ML: 6.308
Vacina contra a Febre Amarela 10 doses: 6.272
Vacina dupla adulto (10 doses): 3.972
Vacina papiloma vírus humano (Tipo 6, 11, 16 E 18 Recombinante) – 1 dose: 2.401
Vacina meningocócica C Conjugada – Frasco: 2.178
Diluente para vacina Tríplice Viral (MMR) 1 DOSE: 2.055
Kit Molecular Zika Dengue Chikungunya (ZDC) – 48 reações – Acessórios: 1.496
Kit Molecular Zika Dengue Chikungunya (ZDC) – 48 reações – Amplificação: 1.496
Kit Molecular Zika Dengue Chikungunya (ZDC) – 48 reações – Controle: 1.496
Vacina contra Hepatite A (Rotina Pediátrica) 1 dose: 1.440
Imunoglobulina anti-varicela Zoster – 1 dose: 1.334 . *

(**) Eduardo Rodrigues e Julia Affonso, O Estado de S.Paulo